20/01/2021

Tudo que você precisa saber sobre Gestão de Resíduos de da construção civil

A indústria da construção civil é uma das mais importantes atividades socioeconômicas do Brasil, sendo o maior setor empregador da economia nacional e tendo participação de 6,5%% do PIB Brasileiro. Devido à intensa mudança na paisagem, o excessivo consumo de recursos naturais e a elevada geração de resíduos, o setor é grande degradador do meio ambiente. Ele é responsável por […]
11/01/2021

E-commerce pode ser culpado pelo aumento da poluição por resíduos

O pico nas vendas online graças à pandemia teve consequências que vão além da digitalização e mudanças nos hábitos de consumo. Compradores estão tendo dificuldade de descartar corretamente embalagens de produtos e nunca se acumulou tanto papelão nas ruas, segundo a empresa de coleta norte-americana Republic Services. A companhia relatou um aumento de 25% nas coletas de resíduos feitos em residências. Ao […]
07/01/2021

Lei que proíbe utilização de pratos, copos e talheres de plástico entre em vigor em SP

Sancionada em 2020, regra passou a valer a partir do dia 1° de janeiro deste ano. Entretanto, multas e punições previstas no texto original só podem ser aplicadas após regulamentação, que ainda não foi feita pela gestão municipal. A lei municipal nº 17.261, de 13 de janeiro de 2020 proíbe estabelecimentos comerciais da cidade de São Paulo de fornecer aos […]
05/01/2021

“Estamos muito descartáveis”, diz Guilherme Weege, CEO da Malwee

UOL – O que a Malwee está fazendo para diminuir o impacto ambiental? Guilherme Weege – A primeira escolha foi fazer coisas para durar, não fazer coisas descartáveis. Uma média global mostra que, ao longo de um ano, usamos 30% do que está dentro do nosso guarda-roupa, ou seja, não usamos 70%, mas essas roupas consumiram produtos químicos, matéria-prima, trabalho. Será […]
24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]

A indústria da construção civil é uma das mais importantes atividades socioeconômicas do Brasil, sendo o maior setor empregador da economia nacional e tendo participação de 6,5%% do PIB Brasileiro.

Devido à intensa mudança na paisagem, o excessivo consumo de recursos naturais e a elevada geração de resíduos, o setor é grande degradador do meio ambiente. Ele é responsável por 40-70% do total de resíduos gerados pelos municípios.

Mas não somente a alta geração, o maior problema que se segue é a sua disposição irregular, que incentiva a criação de pontos de despejo inadequados, que trás a contaminação do solo e águas superficiais e subterrâneas, oferece abrigo a vetores de contaminação e ainda deixam o local visualmente desagradável, diminuindo a qualidade de vida da população ao seu redor.

Para resolução dessa problemática são necessárias soluções diversificadas, e é sobre isso que iremos conversar nesse artigo!

Afinal, o que são os resíduos de construção civil?

Resíduos da construção civil, comumente chamados de entulhos, são definidos pela Resolução CONAMA_307/2002 como sendo os resíduos gerados em atividades de construção, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, além dos resíduos resultantes da preparação e da escavação de terrenos.

Alguns exemplos: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos, rochas, azulejos, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc.

Como os resíduos se classificam?

Em quatro classes em função de sua composição, são elas:

Os resíduos sólidos podem ser classificados, ainda, de acordo com o perigo que proporcionam, em três categorias:

  • Classe I – resíduos perigosos
  • Classe II – não inertes (contaminados)
  • Classe III – inertes

Os resíduos de construção e demolição (RCD) são predominantemente de Classe III, embora, devido à poluição, possam ser classificados como de Classe II.

Na prática, o maior volume de resíduos sólidos da construção são sobras de materiais cerâmicos, argamassa e seus componentes, chegando a representar em média 90% de todos os resíduos gerados em obras.

Qual a importância de realizar a classificação dos resíduos?

Segundo Lima e Lima (2009), a fase de caracterização é particularmente importante no sentido de identificar e quantificar os resíduos e, desta forma, realizar o planejamento adequado, visando a redução, a reutilização, a reciclagem e a destinação final somente daqueles resíduos que tem possibilidades de reuso esgotadas.

Porque são gerados tantos resíduos assim?

Segundo Miotto (2013), são vários os motivos que justificam a geração excessiva de RCC, como a baixa qualificação da mão de obra, técnica construtiva de pouca tecnologia que não emprega princípios de racionalização, falhas nos métodos de transporte dos materiais nos canteiros de obras, excesso de produção de materiais e de embalagens, entre outros.

Como começar a gestão de resíduos da construção civil?

O gerenciamento de resíduos da construção civil é um instrumento para minimizar impactos ambientais e deve abranger o conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada.

Veja abaixo como começar um plano de gestão de resíduos da construção civil!

Sensibilização ambiental da empresa e dos funcionários

Em muitos canteiros de obras, observa-se o negligenciamento da questão ambiental, quase sempre acompanhado de uma postura reativa das empresas no que concerne às obrigações ambientais (Silva, et al., 2015).

Para mudar essa realidade, é preciso trazer para sua empresa atividades de sensibilização e mobilização sobre a influência do serviço que prestam sobre o meio ambiente.

Planejamento

Primeiramente, saiba quais são os resíduos gerados em seu local.

Não gere. O primeiro princípio dos 5Rs é a não geração, portanto, faça projetos que utilizem a maior quantidade de materiais possível, sem necessitar descartá-los. Se for gerado, respeite a ordem de prioridade: redução, reutilização, reciclagem, tratamento e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

Além disso, evitar desperdícios e respeitar o meio ambiente tem provado ser melhor economicamente, já que há grande economia na compra de materiais e um público mais ambientalmente consciente.

ATENÇÃO: os resíduos da construção civil não podem ser dispostos em aterros de resíduos sólidos urbanos, em áreas de vazadouros, em encostas, corpos d’água, lotes vagos e em áreas protegidas por lei.

Portanto, veja locais para levá-los que sejam adequados dentro da lei, e também, próximos do empreendimento, visando reduzir custos de transporte do material. Mas antes disso tente reaproveitá-los, reciclá-los, etc.

Contrate empresas especializadas

Adote o Selo Sou Resíduo Zero!

O Movimento Sou Resíduo Zero surge com o objetivo de engajar pessoas, comunidades e empresas a planejarem e gerenciarem seus resíduos, enfatizando a não geração e uma grande mudança na forma atual do fluxo de materiais na sociedade. Sou Resíduo Zero abrange mais do que a eliminação de resíduos através da reciclagem e reutilização, este incide sobre a reestruturação dos sistemas de produção e distribuição para reduzir o desperdício.

Conheça alguns casos de sucesso

Conheça a ArqBrand, que adotou o Selo Sou Resíduo Zero em 2019.

Conheça a Breves Arquitetura, que adotou o Selo Sou Resíduo Zero em 2020.

Veja o vídeo sobre a gestão de resíduos da CASACOR e aprenda ainda mais!

Referência: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/viewFile/20558/pdf

20/01/2021

Tudo que você precisa saber sobre Gestão de Resíduos de da construção civil

A indústria da construção civil é uma das mais importantes atividades socioeconômicas do Brasil, sendo o maior setor empregador da economia nacional e tendo participação de 6,5%% do PIB Brasileiro. Devido à intensa mudança na paisagem, o excessivo consumo de recursos naturais e a elevada geração de resíduos, o setor é grande degradador do meio ambiente. Ele é responsável por […]
11/01/2021

E-commerce pode ser culpado pelo aumento da poluição por resíduos

O pico nas vendas online graças à pandemia teve consequências que vão além da digitalização e mudanças nos hábitos de consumo. Compradores estão tendo dificuldade de descartar corretamente embalagens de produtos e nunca se acumulou tanto papelão nas ruas, segundo a empresa de coleta norte-americana Republic Services. A companhia relatou um aumento de 25% nas coletas de resíduos feitos em residências. Ao […]
07/01/2021

Lei que proíbe utilização de pratos, copos e talheres de plástico entre em vigor em SP

Sancionada em 2020, regra passou a valer a partir do dia 1° de janeiro deste ano. Entretanto, multas e punições previstas no texto original só podem ser aplicadas após regulamentação, que ainda não foi feita pela gestão municipal. A lei municipal nº 17.261, de 13 de janeiro de 2020 proíbe estabelecimentos comerciais da cidade de São Paulo de fornecer aos […]
05/01/2021

“Estamos muito descartáveis”, diz Guilherme Weege, CEO da Malwee

UOL – O que a Malwee está fazendo para diminuir o impacto ambiental? Guilherme Weege – A primeira escolha foi fazer coisas para durar, não fazer coisas descartáveis. Uma média global mostra que, ao longo de um ano, usamos 30% do que está dentro do nosso guarda-roupa, ou seja, não usamos 70%, mas essas roupas consumiram produtos químicos, matéria-prima, trabalho. Será […]