Lei que combate o desperdício de alimentos é aprovada
26/06/2020
Fórum econômico declara apoio à industria de reciclagem
As três práticas obrigatórias para que seu resíduo seja de fato reciclado
08/07/2020

Qual a diferença entre gestão e gerenciamento de resíduos sólidos?

O problema do lixo é grande e complexo. São necessárias boas práticas por vários atores para que os materiais recicláveis e orgânicos retornem para a cadeia produtiva.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), o marco legal dos resíduos no Brasil, aponta que tanto na gestão como no gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser observada a seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. 

Mas afinal, qual a diferença entre gestão e gerenciamento de resíduos sólidos? A diferença básica é que a gestão de resíduos está relacionada aos arranjos institucionais e as políticas públicas já o gerenciamento de resíduos trata da estrutura operacional e está relacionada as responsabilidades dos geradores.

A gestão de resíduos sólidos abrange a parte estratégica. A tomada de decisão de quais serão os princípios, as diretrizes e as metas.

Gerenciamento de resíduos sólidos refere-se então aos aspectos práticos e operacionais. São as soluções mais adequadas considerando as condições de cada realidade.

Saiba como funciona uma operação de gerenciamento de resíduos!

Câmara Municipal de Senhora do Porto
Câmara dos Deputados

A PNRS determida que municípios elaborem um Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos enquanto os estabelecimentos geradores de resíduos devem estabelecer um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

O plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos tem o seguinte conteúdo mínimo: 

  • Diagnóstico
  • Situação dos resíduos sólidos gerados
  • Áreas favoráveis para disposição final ambientalmente adequada de rejeitos
  • Identificação das possibilidades de implantação de soluções consorciadas ou compartilhadas com outros Municípios
  • Identificação dos geradores sujeitos a plano de gerenciamento ou a sistema de logística reversa
  • Procedimentos operacionais do serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos incluída a disposição final 
  • Indicadores de desempenho operacional e ambiental
  • Regras para o transporte e outras etapas
  • Definição das responsabilidades quanto à sua implementação e operacionalização
  • Programas e ações de capacitação técnica
  • Programas e ações de educação ambiental
  • Programas e ações para cooperativas ou outras formas de associação de catadores
  • Mecanismos para a criação de fontes de negócios, emprego e renda, mediante a valorização dos resíduos sólidos; 
  • Sistema de cálculo dos custos
  • Metas de redução, reutilização, coleta seletiva e reciclagem
  • Descrição das formas e dos limites da participação do poder público local na coleta seletiva e na logística reversa
  • Controle e a fiscalização
  • Programa de monitoramento; 
  • Identificação dos passivos ambientais relacionados aos resíduos

Entenda Como tornar sua empresa Resíduo Zero!

Já o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos é obrigatório para empresas que estão diretamente ligada ao transporte e tratamento de resíduos bem como empresas geradoras de:

  • resíduos de serviços de saúde
  • resíduos industriais
  • resíduos de mineração
  • resíduos perigosos
  • resíduos de construção civil
  • resíduos de serviço de transporte
  • resíduos sólidos urbanos em volume maior do que o considerado domiciliar

Quanto ao conteúdo, o plano de gerenciamento de resíduos sólidos deve conter:

  • Descrição do empreendimento ou atividade; 
  • Diagnóstico dos resíduos gerados; 
  • responsáveis por cada etapa do gerenciamento de resíduos sólidos; 
  • procedimentos operacionais relativos às etapas do gerenciamento de resíduos sólidos sob responsabilidade do gerador; 
  • identificação das soluções consorciadas ou compartilhadas com outros geradores; 
  • ações preventivas e corretivas
  • metas e procedimentos relacionados à minimização da geração de resíduos
  • medidas saneadoras dos passivos ambientais relacionados aos resíduos sólidos.

Um dos princípios da PGRS é justamente a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, assim a diferença entre gestão e gerenciamento já busca estabelecer os limites entre o público e privado. De acordo com esse princício fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, os consumidores e o poder público devem juntos encontrar soluções para os resíduos que geramos como sociedade.

Veja também: Tudo que você precisa saber sobre resíduos sólidos

O Movimento Sou Resíduo Zero surge com o objetivo de engajar pessoas, comunidades e empresas a planejarem e gerenciarem seus resíduos, enfatizando a não geração e uma grande mudança na forma atual do fluxo de materiais na sociedade. Sou Resíduo Zero abrange mais do que a eliminação de resíduos através da reciclagem e reutilização, este incide sobre a reestruturação dos sistemas de produção e distribuição para reduzir o desperdício.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − três =