empresa-faz-troca-de-lixo-por-creditos-no-bilhete-unico
Empresa faz troca de lixo por créditos no bilhete único e no Uber
04/02/2019
Trabalhando com o movimento Break Free From Plastic, o Greenpeace disse ter organizado 239 coletas de plástico em 42 países por todo o mundo, que resultaram na análise de 187 mil peças de lixo plástico.
Gigantes da indústria como Coca-Cola, Pepsi e Nestlé testarão serviço de embalagens retornáveis
06/02/2019

Fim das embalagens! Grande rede de supermercados brasileira passa a vender a granel

São mais de 40 tipos de produtos oferecidos sem embalagens nas gôndolas – entre grãos, sementes, cereais, chocolates, chás e frutas desidratadas

Ainda não estamos no nível de Berlim ou Paris, onde já existem supermercados 100% sem embalagens, mas estamos dando bons passos rumo ao fim dos descartáveis. O mais recente deles envolve a grande rede de supermercados Pão de Açúcar, que passou a vender a granel.

São mais de 40 tipos de produtos oferecidos sem embalagens nas gôndolas – entre grãos, sementes, cereais, chocolates, chás e frutas desidratadas – para aqueles consumidores que sentem arrepios só de pensar em plástico insulfilme, bandejinhas de isopor e embalagens de papelão que servem unicamente para proteger outra embalagem.

Os clientes podem trazer vasilhames reutilizáveis de casa para armazenar os produtos ou, então, comprá-los no próprio mercado. Por enquanto, há quatro opções de potes de vidro à venda, que variam de preço e tamanho.

Hoje na cidade de São Paulo o projeto pode ser encontrado em 9 unidades, batizada de Reutilizar #PraSerFeliz. A intenção é expandir cada vez mais o número de unidades que participam do projeto e também o número de itens vendidos a granel. Segundo a administração do Pão de Açúcar, deve subir para 60 o número de produtos sem embalagem disponíveis nas gôndolas dos mercados da rede.

Que a iniciativa cresça e sirva para fomentar o debate sobre esse tipo de comércio, tão antigo e ao mesmo tempo tão atual. Já parou para pensar na quantidade de lixo que deixaríamos de produzir (e também no montante de dinheiro que economizaríamos) se toda vez que fossemos ao mercado, comprar um shampoo, detergente ou biscoito, levássemos nossas próprias embalagens?

Fonte: The Greenest Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *