24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: The Greenest Post

“Além de ser uma baita crueldade, a indústria do couro não consegue produzir material de qualidade.” A afirmação é de Carmen Hijosa, especialista em couro que visitou uma empresa especializada nas Filipinas. Foi durante esta mesma viagem que teve um insight que mudou sua vida: o país produz muito abacaxi, o que gera muito resíduo (que, vejam só, poderia ser usado para produzir couro vegetal!).

Carmen decidiu investir na ideia. Pediu demissão do emprego, no qual trabalhava há sete anos, e investiu em um curso na Royal College of Art, em Londres. Enquanto ganhava o título de PhD, desenvolveu o material patenteado por ela — hoje assunto deste post. Aos 63 anos, dirige sua startup de couro feito a partir de restos de abacaxi, chamada Piñatex.

“A força e flexibilidade das fibras do abacaxi são características essenciais para o produto final”, explica Carmen, que também fez testes (não tão bem sucedidos) com a banana e o sisal.

A ideia da moça está fazendo sucesso, não é para menos. Além de evitar toda a crueldade da indústria do couro legítimo, o couro de fibras de abacaxi leva vantagem sobre o couro sintético. Isso porque a produção desse tipo de material também acarreta em problemas para o meio ambiente: geralmente, a fabricação de couro sintético utiliza produtos químicos, como o petróleo, que contaminam os lençóis freáticos e solos. Muito melhor optar pelo couro de abacaxi, que de quebra ainda reduz a quantidade de resíduos nos aterros, não?

“Análises de tendência de mercado mostram que os consumidores estão prestando cada vez mais atenção em quem, como, onde e quando suas roupas são fabricadas”, diz Carmen.

O couro de abacaxi é vendido em forma de rolos que podem ser utilizados para fazer qualquer tipo de produto que hoje é fabricado com couro animal- de sapatos a assentos de carros. Atualmente, a startup de Carmen produz entre 500 e 2.000 metros do material a cada 30 dias. Mas, em três meses, ela espera aumentar a fabricação para 8.000 metros. Marcas como Puma e Camper já estão começando a testar a inovação.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

10/05/2016

Espanhola desenvolve couro ecológico feito com restos de abacaxi

Fonte: The Greenest Post “Além de ser uma baita crueldade, a indústria do couro não consegue produzir material de qualidade.” A afirmação é de Carmen Hijosa, especialista em couro que visitou uma empresa especializada nas Filipinas. Foi durante esta mesma viagem que teve um insight que mudou sua vida: o país produz muito abacaxi, o que gera muito resíduo (que, […]