24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Green Savers 

Liubliana, capital da Eslovénia, é a Capital Verde da Europa 2016 e um exemplo a seguir pelas outras cidades europeias. É a primeira capital do velho continente a estar perto de uma cidade sem resíduos, onde produtos e recursos são reutilizados e reciclados num verdeiro exemplo de economia circular.

Os resultados obtidos resultam de um trabalho conjunto por parte de decisores políticos, empresas e cidadãos e valeu à cidade o título de Capital Verde Europeia, “[Isto] traz uma grande responsabilidade. Cuidar do ambiente urbano significa cuidar da saúde e do bem-estar das pessoas que vivem nas nossas cidades. Demonstraram que um bom investimento traz bons resultados”, segundo Karmenu Vella, comissário europeu responsável pelo Ambiente, pelos Assuntos Marítimos e pelas Pescas.

A gestão de resíduos urbanos e o desenvolvimento de uma economia circular fazem da metrópole eslovena um exemplo para as demais cidades europeias. Durante os últimos dez anos, os residentes da Liubliana reduziram a quantidade de resíduos que produzem em 15%. Em 2014, cada pessoa eliminou, em média, 283 kg de resíduos, o que representa menos 41% do que a média europeia, pode ler-se no comunicado da Comissão Europeia.

Factores determinantes para estes resultados são a existência de pontos de reciclagem e recolha de resíduos facilmente acessíveis e a recolha porta-a-porta de alguns tipos de resíduos urbanos, os quais asseguram que cerca de dois terços dos resíduos das famílias e das empresas de Liubliana sejam reciclados ou compostados. O que leva a que a quantidade de materiais recuperados na cidade tenha aumentado de 16 kg por pessoa em 2004 para 145 kg em 2014, reduzindo em 59% a quantidade de lixo depositado em aterros.

Entre outras boas-práticas, a cidade aposta em ensinar aos jovens a importância da inovação, do empreendedorismo social e da economia verde, o que pode ser visível no incentivo realizado à reciclagem de produtos. No centro de reutilização público de Liubliana são trocados, em média, 75 produtos por dia, 100 são vendidos e outros recolhidos e separados.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

 

03/06/2016

Economia Circular: Liubliana é cidade modelo

Fonte: Green Savers  Liubliana, capital da Eslovénia, é a Capital Verde da Europa 2016 e um exemplo a seguir pelas outras cidades europeias. É a primeira capital do velho continente a estar perto de uma cidade sem resíduos, onde produtos e recursos são reutilizados e reciclados num verdeiro exemplo de economia circular. Os resultados obtidos resultam de um trabalho conjunto […]