24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Somos Verdes

Uma grande parcela de moradores dessas cidades acredita que árvores frutíferas são capazes de realinhar a fauna, trazendo de volta os predadores naturais de insetos e roedores por exemplo. Acreditam ainda que essas árvores são capazes de trazer mais harmonia, beleza e frutos em abundância para as grandes cidades.

Por outro lado, existe uma outra parcela que só de pensar em ver folhas e flores caídas nas calçadas ficam enojadas. Este outro lado tem explicações das mais diversas, como por exemplo, sujeira nas calçadas e garagens, flores que atraem insetos, frutas caídas ao chão que por sua vez mancham as calçadas, entupimento de bueiros e etc.

Este dilema existe desde que começaram a passar cimento e asfalto sob todos os lugares, sobrando assim, poucos espaços com terra para que essas flores e folhas possam se decompor e completar seus ciclos naturais de decomposição e adubação.

Recentemente surgiu um grupo de pessoas intitulado de Guerrilla Grafters que está tentando mudar a megalópole de São Francisco nos EUA e com isso infernizando a vida das autoridades responsáveis pelo cuidado com a flora da cidade. O fato interessante é que estes guerrilheiros ao invés de carregarem armas e balas, estão munidos de pequenos galhos de árvores frutíferas como macieiras e laranjeiras, uma legítima guerra biológica. A técnica utilizada por eles é a enxertia e consiste em enxertar esses pequenos galhos nas diversas árvores frutíferas e ornamentais que estão espalhadas pela cidade.

A ideologia do grupo é driblar o sistema e disponibilizar frutos que possam ser colhidos diretamente do pé, sem ter que pagar por isso. “Com o tempo, deliciosas e nutritivas frutas tornam-se disponíveis aos cidadãos por meio desses enxertos. Nós queremos provar que uma cultura de cuidado pode ser cultivada no solo. Nós queremos transformar as ruas da cidade em florestas de frutas, e desfazer a civilização galho por galho.“

Estima-se que a prefeitura de São Francisco plantou mais de 10.000 árvores frutíferas pela cidade, mas estas árvores são estéreis (incapazes de reproduzir) e o Guerrilla Grafters tem se aproveitado disso, pois com o enxerto estas frutíferas voltam a produzir. Por ser um assunto muito polêmico e que pode gerar conflitos, os enxertos são feitos secretamente.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

11/10/2016

Grupo se une para espalhar secretamente enxertos de árvores frutíferas pelas cidades

Fonte: Somos Verdes Uma grande parcela de moradores dessas cidades acredita que árvores frutíferas são capazes de realinhar a fauna, trazendo de volta os predadores naturais de insetos e roedores por exemplo. Acreditam ainda que essas árvores são capazes de trazer mais harmonia, beleza e frutos em abundância para as grandes cidades. Por outro lado, existe uma outra parcela que […]