Resíduos em áreas rurais: peculiaridades e desafios
26/03/2020
Mulheres são maioria no setor da reciclagem de resíduos sólidos
31/03/2020

Série compostagem: recicle seu orgânico dentro de casa!

A compostagem é um processo de transformação de resíduos orgânicos em adubo para plantas! Se você ainda não conhece vamos te mostrar que é possivel fazer esse processo na sua casa e que já existem empresas fazendo em larga escala!

Mas como funciona esse processo?

Todo o resíduo de cozinha e de jardim entram em decomposição naturalmente, para uma compostagem ter sucesso é só colocar os orgânicos em locais adequados do jeito certo. Organismos biológicos como fungos e bacterias realizam esse processo, mas outros organismos decompositores como as minhocas podem entrar no jogo para acelerar e produzir seu adubo mais rápido. Nesse caso para manter as minhocas saudaveis alguns tipos de alimentos (principalmente os acidos como cítricos e temperos) não entram no minhocário. Não é idicada tambem a compostagem domestica de carnes e outros orgânicos de origem animal.

Restos de legumes, verduras, frutas e alimentos, filtros e borra de café, cascas de ovos e saquinhos de chá; galhos de poda, flores de galho e cascas de árvores todos podem ir no minhocário. Outros itens que podem ser compostados sem minhocas são papel de cozinha, caixas para ovos, penas e cabelos,  temperos fortes, frutas citricas restos de comidas cozidas e laticínios. Em ambientes externos outros materiais podem ser incluídos na compostagem, mas vamos tratar desse assunto no próximo post!

Impostantíssimo é cobrir todo esse material úmido com matéria orgânica seca como serragem ou palhas, folhas ou grama . 

As substâncias nutritivas, como carboidratos, aminoácidos, lipídios eproteínas, são rapidamente decompostas
pelos microrganismos. Essa reação libera energia na forma de calor e conduz à formação de gás carbônico e água. A decomposição de celulose e lignina forma o material húmico, que pode ser considerado produto final da compostagem, ou seja, o próprio composto.

Mas vamos ao que interessa! Como fazer isso na prática?

Existem várias empresas que comercializam minhocários prontinhos mas existe também a possibilidade de fazer o seu com baldes tampados!

Como fazer um minhocário com baldes plásticos #reutilize ...

Foto: Cadico Minhocas

Nos dois baldes superiores faça alguns furos na parte inferior e e nas tampas, para que as minhocas possam circular e o chorume (o liquido presente nos alimentos) possa escorrer.

A tampa de cima e o balde de baixo devem permanecer sem furos. Há quem prefira cobrir com um tecido para que o ar circule mais, pode ser um saco alvejado ou amarrar um pedaço de 100% algodão.  No último balde sem furos, será armazenado o chorume, que pode (e deve) ser usado como adubo liquido. Dá até pra inserir uma torneira no balde que armazana o adubo líquido para faciliar a retidada.

Ilustração: Davi Calil

Depois de pronto chega a melhor parte: transformar seu resíduo orgânico em adubo!

Primeiro forre até a metade dos baldes furados com humus e minhocas e em seguida pode colocar seus resíduos orgânicos. Cuidado com a quantidade! Nesse primeiro momento a capacidade de digestão das minhocas é baixa, elas vão se reproduzir e vão digerir cada vez mais restos de alimentos com o tempo. Depois de colocar os orgânicos humidos, hora de cobrir com matéria seca. Pode ser folhas secas do jardim ouu até da praça perto de casa, mas tem que estar bem sequinhas. Quem tiver acesso o melhor é usar serragem, mas de madeira sem cola e sem verniz. A proporcção deve ser a 1 para 1, ou seja, a mesma quantidade de matéria úmida e matéria seca. Essa proporção é bem importante para gerar um composto de qualidade! A matéria seca vai afastar as mosquinhas e impedir odores.

Quando o primeiro recipiente estiver cheio, coloque-o no meio e o que estava no meio coloque em cima. Assim você terá espaço para colocar mais orgânicos enquanto as minhocas, fungos e bactérias trabalham para decompor o que você já colocou!

A questão de usar minhocas para compostar parece uma solução viável e sustentável mas não esta isenta de reflexões e questionamentos (alerta-polêmica!) principalmente por parte dos veganos. O fato levantado é que estamos tirando as minhocas de seu habitat e fazendo-as “trabalhar” a nosso favor. Além disso o tipo de minhoca mais indicado é a chamada minhoca californiana, a eisenia fetida, que é uma espécie exótica, ou seja, não pertence a fauna brasileira e não sabemos qual pode ser o impacto da reprodução delas caso sejam introduzidas na natureza, caso alguem queira doar seu humus cheio de californianas em uma praça ou parque por exemplo.

Mas isso não precisa te desestimular se é uma solução que já funciona no seu dia-a-dia, mas existem outras soluções caseiras que você pode utilizar pra complementar com os materiais que não podem ir pro minhocário como os cítricos e temperos.

Com baldes com tampa do mesmo tipo, pode fazer a mesma estrutura de dois para a materia orgânica e um em baixo para o chorume. As diferenças são a quantidade de matéria seca e maior floxo de ar. Na hora de confeccionar a composteira sem minhocas além dos furos no fundo e nas tampas as laterais devem ter furos tambem para que o ar circule mais.

Quanto a proporção de matéria seca: enquanto no minhocário a proporção é 1 pra 1 na composteira sem minhocas é 3 partes de matéria seca para 1 parte de matéria úmida. Então, ao invés de somente cobrir seu resíduo orgânico coloque as outras duas partes de matéria seca em volta do balde, fazendo um ninho para a matéria úmida.

Outra solução é compostar direto nas suas plantas fazendo mini-composteiras!

Com um recipiente que caiba e pode ser fixado na terra ao lado da planta coloque uma pequena quantidade de resíduo orgânico (preferencialmente picado) e por cima a matéria seca. O chorume vai infiltrar diretamente nas raízes da sua plantinha e quando o humus ficar pronto é só espalhar no que restou da superfície e começar tudo de novo!

Parece simples né? Mas é mesmo! Quando você menos esperar seu adubo liquido já vai começar a cair no último recipiente e você poderá colocar nas plantas adicionando 10 porções de água para cada porção de chorume. Quanto ao uso do humus tambem pode ser utilizado com cuidado. Coloque uma quantidade que não ultrapasse 10% da quantidade de terra do vaso.

Experimente esse ciclo virtuoso! Quanto mais adubo mais plantas e mais saúde…

Gostou? Saiba mais sobre nosso projeto Horta e Compostagem na Escola Fernão Dias Paes! em parceria com o Coletivo Pinheiros.

Veja tambem o como são as hortas do projeto Vila Nilo e a composteira da Leroy Merlin nessa reportagem da Band!

Por Marina Teles Noguti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 6 =