ONU anuncia o lançamento do primeiro padrão global para medir perda e desperdício de alimentos
07/07/2016
Produtos a granel são vendidos em embalagens reutilizáveis em supermercado
11/07/2016

Coleta seletiva de resíduos domésticos é ampliada em Ariquemes

Fonte: G1

Comunidade recebeu capacitação para segregar o lixo de forma correta.
Resíduos da coleta seletiva são destinados à cooperativa, diz Semma.

A coleta seletiva de resíduos domésticos foi ampliada para mais dois bairros de Ariquemes (RO), a cerca de 200 quilômetros de Porto Velho. Na manhã desta quarta-feira (6), moradores do Setor 4 foram capacitados para fazer a segregação correta do lixo. O projeto é coordenado pela Secretária Municipal de Meio Ambiente (Semma) em parceria com agentes de saúde. Os resíduos da coleta seletiva são destinados para uma cooperativa de reciclagem, segundo a Semma.

De acordo com o engenheiro ambiental Acir Braido, a coleta seletiva no município iniciou em janeiro, nos setores 1 e 3. A partir desta semana, a ação será implementada nos setores 2 e 4. Para que a iniciativa funcione a população está sendo capacitada. “Os órgãos envolvidos estão empenhados em explicar para os moradores a importância da coleta seletiva. Descrevemos os detalhes sobre a separação do lixo seco e molhado, informando os dias em que serão coletados” explicou.
A dona de casa Iracema Romero recebeu a visita de alguns dos agentes para explicar como funciona a coleta seletiva. Ela conta que realiza a separação do lixo há algum tempo em sua casa. “Prefiro separar os tipos de lixo para evitar a bagunça e facilitar o descarte. Agora pretendo intensificar [a segregação], pois assim fazemos a nossa parte para preservar o meio ambiente”, disse.

Conforme a Semma, cerca de 60 toneladas de lixo doméstico são coletadas por dia em Ariquemes e em mais cinco municípios vizinhos. Deste total, 30% conseguem ser destinados para a reciclagem, o que aumenta a vida útil do aterro sanitário. “Com o lixo sendo reciclado, o aterro sanitário, que teria uma vida útil de 20 anos, passa a durar de 25 a 30 anos”, explica Acir.
Após serem coletados, os resíduos são encaminhados para duas cooperativas que realizam o trabalho socioeconômico. No local, os cooperados transformam o que seria descartado em fonte de renda. “Lá, eles [cooperados] separam os materiais de acordo com as classificações, como plástico, papel e vidro. Em seguida, os catadores beneficiam e vendem para empresas que utilizam o material como matéria prima”, finaliza.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *