24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Envolverde

A implantação de um projeto de hortas comunitárias e compostagem de resíduos orgânicos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), incentivando a consciência ambiental e a alimentação saudável, surgiu na união de duas secretarias da prefeitura de São José dos Campos, a da saúde e do meio ambiente.

O projeto vai aproveitar o quintal de 12 unidades que tenham área disponível para plantio e criar hortas comunitárias. Também deve adotar a geração de adubo orgânico, a partir da utilização dos resíduos gerados na própria unidade, alinhando-se assim às estratégias do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS).

Segundo a nutricionista da Secretaria de Saúde, Elisabeth Bismarck, o projeto terá um componente educativo e preventivo com pacientes das unidades, especialmente os grupos de risco formados por diabéticos, hipertensos, pessoas com quadros de desnutrição ou obesidade.

As Unidades Básicas de Saúde receberão equipamentos de proteção individual, ferramentas, composteiras e sementes, que serão fornecidos pelo Programa de Promoção da Saúde (SMS). Os funcionários e voluntários envolvidos na horta comunitária receberão treinamento, mudas e apoio do Programa Hortas Urbanas que oferece orientações sobre o cultivo de hortaliças, ervas e temperos em pequenos espaços.

“A ideia é gradativamente começar uma pequena produção de hortaliças nas unidades, praticar a compostagem, que fornecerá o adubo para preparação do solo, e adotar critérios de inclusão para que a comunidade participe de todo este processo”, explicou a nutricionista.

O programa Hortas Urbanas, da Secretaria de Meio Ambiente, oferece orientações sobre o cultivo de hortaliças, ervas e temperos em pequenos espaços. A intenção é estimular a alimentação livre de agrotóxicos e o resgate de um maior contato com a terra. O curso que é dado ensina também como transformar restos de alimento em adubo orgânico, rico em nutrientes.

Uma das metas do Plano de Gestão de Resíduos do município é promover a compostagem dos resíduos orgânicos na fonte geradora, evitando seu transporte para longe do local de origem. O tratamento dos resíduos orgânicos, somado à reciclagem dos materiais secos, aumentará a vida útil do Aterro Sanitário, que hoje recebe em torno de 600 toneladas de lixo domiciliar por dia.

Além das Unidades Básicas de Saúde, o programa de compostagem está sendo expandido para escolas, secretarias e parques municipais. E também atende condomínios de residenciais e domicílios. A compostagem também tem interface com a Agenda Ambiental na Administração Pública, programa que internaliza a responsabilidade socioambiental nas atividades do poder público por meio da adoção progressiva de critérios de sustentabilidade. Um dos eixos temáticos da agenda é a gestão adequada dos resíduos gerados.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

22/08/2016

Projetos de hortas comunitárias e de compostagem em UBS

Fonte: Envolverde A implantação de um projeto de hortas comunitárias e compostagem de resíduos orgânicos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), incentivando a consciência ambiental e a alimentação saudável, surgiu na união de duas secretarias da prefeitura de São José dos Campos, a da saúde e do meio ambiente. O projeto vai aproveitar o quintal de 12 unidades que tenham […]