25/05/2021

Beacon School é Sou Resíduo Zero

Inaugurada em 2010 e reconhecida pela International Baccalaureate Organization como IB World School, a Beacon School tem hoje mais de 1.000 alunos, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Em um ambiente que enfatiza o acolhimento, a Beacon oferece uma educação internacional genuinamente bilíngue e aberta para o mundo, ao mesmo tempo em que valoriza suas raízes brasileiras. Reconhecem a diversidade […]
30/04/2021

O que é a NBR 10004/2004?

A Norma Técnica Brasileira 10004/2004 tem por objetivo classificar os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. Esta NBR não considera resíduos radioativos, ficando sob responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Qual sua importância? O estabelecimento de uma padronização e codificação dos resíduos facilita o gerenciamento […]
26/04/2021

O que é MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos)?

O Manifesto de Transporte de Resíduos – MTR é um documento que os geradores de resíduos devem emitir através do Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos – SINIR, e estão sujeitos à elaboração da PGRS. O mesmo permite que os resíduos gerados e destinados sejam rastreados. O documento emitido é numerado e deverá acompanhar o transporte […]
15/04/2021

Tudo que você precisa saber sobre Gestão de Resíduos Sólidos

Qualquer tipo de negócio é um potencial gerador de resíduos, uma vez que estamos constantemente utilizando materiais e consumindo alimentos em nossas atividades diárias. Acabar com os impactos negativos da geração de lixo é um desafio e tanto, porém, de alguma forma, essas atividades podem ser mitigadas e gerar impactos positivos de âmbito social, econômico e ambiental. Fazer a gestão […]
31/03/2021

Conheça a IN IBAMA 13/2012

Entre os instrumentos definidos na Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/10), encontramos o Cadastro Nacional de Operadores de Resíduos Perigosos e o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais. Estes instrumentos estão atribuídos ao SISNAMA – Sistema Nacional do Meio Ambiente – que dispõe como um de seus Órgãos Executores o IBAMA […]

Fonte: CEMPRE

Os agricultores estão no topo da lista dos melhores recicladores, enquanto os trabalhadores de escritório ocupam a última posição. Essa é a conclusão de uma empresa de resíduos e reciclagem britânica que entrevistou representantes de vários setores da economia do Reino Unido para avaliar que grupo produziu o maior percentual de resíduos recicláveis ??em comparação com os resíduos enviados para aterro ou incineração.

A BusinessWaste constatou que setores como indústria e agricultura, cujos lucros dependem de reutilização e reciclagem, obtiveram os melhores resultados. “Percebemos que as pessoas que trabalham em escritórios não estão, de modo geral, conscientes dos custos envolvidos no simples ato de jogar todos os seus resíduos na lixeira ao lado de sua mesa”, explica Mark Hall, porta-voz da BusinessWaste. Segundo o levantamento da empresa os melhores recicladores da Grã-Bretanha são:

1. Propriedades agrícolas

2. Indústrias

3. Pubs e restaurantes

4. Varejo

5. Hospitais e clínicas

6. Escolas

Já os piores resultados ficam com:

1. Escritórios

2. Casas noturnas

3. Estabelecimentos de “takeaway food” (comida para ser consumida em outro local)

“Por que os fazendeiros são bons na reciclagem?”, pergunta Hall. “A resposta é simples: eles fazem isso há séculos e essa cultura do desperdício zero sobreviveu ao longo dos anos. De pequenas propriedades familiares a grandes empresas de agronegócio, o princípio é o mesmo: tudo é reutilizado sempre que possível. Somente o que é realmente resíduo é descartado – e com relutância.”

Segundo a BusinessWaste, o mesmo ocorre nas fábricas, mas por razões diferentes. “Cada tonelada de resíduos não recicláveis produzidos representa gastos consideráveis com seu descarte”, diz Hall. “A indústria tem feito grandes esforços para encontrar usos alternativos para seus resíduos, muitas vezes vendendo-os como matéria-prima para outros setores.” Resíduos de borracha e vidro, por exemplo, são hoje usados na produção de revestimentos de baixo ruído para estradas.

Por outro lado, os escritórios têm pouco incentivo para elevar seus índices de reciclagem. Seus funcionários não querem se incomodar ou perder tempo para se deslocar de suas mesas até a lixeira correta para descartar uma garrafa de água. “Por isso, os fazendeiros deveriam ser vistos como fonte de conhecimento, tendo muito a ensinar a executivos e outros profissionais, gerando redução de gastos e recursos naturais. Poderia ser uma excelente ideia fazer com que agricultores ensinassem a proprietários de casas noturnas como melhorar seus custos e gerir melhor seu negócio, no que diz respeito à reciclagem”, desafia Hall.

De acordo com dados do governo, o Reino Unido gerou 200 milhões de toneladas de resíduos em 2012. Metade desse total foi produzida pela construção civil, as atividades industriais e comerciais foram responsáveis por 25%, as residências ficaram com 14% e o restante está disperso em diversas fontes. A reciclagem de resíduos domésticos foi de 44,9% em 2014 – 4,5 pontos percentuais acima de 2010.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

20/07/2016

Os melhores e piores recicladores da Grã-Bretanha

Fonte: CEMPRE Os agricultores estão no topo da lista dos melhores recicladores, enquanto os trabalhadores de escritório ocupam a última posição. Essa é a conclusão de uma empresa de resíduos e reciclagem britânica que entrevistou representantes de vários setores da economia do Reino Unido para avaliar que grupo produziu o maior percentual de resíduos recicláveis ??em comparação com os resíduos […]