30/04/2021

O que é a NBR 10004/2004?

A Norma Técnica Brasileira 10004/2004 tem por objetivo classificar os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. Esta NBR não considera resíduos radioativos, ficando sob responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Qual sua importância? O estabelecimento de uma padronização e codificação dos resíduos facilita o gerenciamento […]
26/04/2021

O que é MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos)?

O Manifesto de Transporte de Resíduos – MTR é um documento que os geradores de resíduos devem emitir através do Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos – SINIR, e estão sujeitos à elaboração da PGRS. O mesmo permite que os resíduos gerados e destinados sejam rastreados. O documento emitido é numerado e deverá acompanhar o transporte […]
15/04/2021

Tudo que você precisa saber sobre Gestão de Resíduos Sólidos

Qualquer tipo de negócio é um potencial gerador de resíduos, uma vez que estamos constantemente utilizando materiais e consumindo alimentos em nossas atividades diárias. Acabar com os impactos negativos da geração de lixo é um desafio e tanto, porém, de alguma forma, essas atividades podem ser mitigadas e gerar impactos positivos de âmbito social, econômico e ambiental. Fazer a gestão […]
31/03/2021

Conheça a IN IBAMA 13/2012

Entre os instrumentos definidos na Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/10), encontramos o Cadastro Nacional de Operadores de Resíduos Perigosos e o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais. Estes instrumentos estão atribuídos ao SISNAMA – Sistema Nacional do Meio Ambiente – que dispõe como um de seus Órgãos Executores o IBAMA […]
17/02/2021

A inconsciência que degrada, a arte que transforma

Matéria por Ana Rocha O meio ambiente e o resíduo Concordamos que nos últimos 30 anos a humanidade evoluiu em vários aspectos importantes para a nossa sobrevivência. Não podemos dizer que possuímos pouca quantidade de informação sobre como tratar o nosso lixo, já que a internet dispõe de uma tonelada de informações válidas e práticas de como proceder com os nossos […]

Fonte: Green Me

É muito agradável, quando estamos caminhando por uma cidade, encontrar jardins verdes e floridos. Mas você já imaginou se deparar com uma máquina que tem uma jardim dentro andando pela cidade?

Pois ela existe e está passeando pelas ruas de Londres. Chama-se Hortum Machina, uma máquina que tem 3 metros de altura, pesa 400 quilos e funciona sem piloto ou controle remoto. O Hortum Machina, que é o primeiro jardim ambulante autônomo a rodar por aí, foi projetado pelo arquiteto brasileiro Danilo Sampaio e pelo engenheiro maltês William Victor Camilleri. Eles tiveram o apoio da escola londrina de arquitetura Bartlett, segundo conta a BBC.

A máquina tem um exoesqueleto redondo feito de alumínio reciclável. Dentro dele há várias plantas nativas britânicas. O arquiteto brasileiro diz que se inspirou nos domos futuristas idealizados pelo arquiteto estadounidense Buckminster Fuller. Segundo ele, o projeto visa a ser a extensão de um parque. Isso quer dizer que as plantas, as quais, em geral, ficam imóveis em um jardim, podem se deslocar pela cidade, sobretudo, para as regiões onde não há área verde. Para chegar à criação, os arquitetos fizeram alguns testes, como colocar as plantas em ambientes com e sem sol para saberem as reações químicas das folhas. Eles conectaram as plantas a um sistema de informação capaz de captar esses dados para transformá-los em movimentos.

O robô esférico obedece ao comando das plantas. Por exemplo, se elas acharem que o sol está muito forte, a máquina vai descansar em uma sombra. Se chove, ela gira para que todas as folhas recebam a água da chuva.

Além de ser benéfica para as plantas, nós, humanos, somos muito beneficiados pela máquina, pois o seu sistema detecta a poluição e faz com que a esfera permaneça por mais tempo no local poluído, até que a qualidade do ar melhore.

E os benefícios da engenhoca não param por aí. O Hortum Machina é capaz de espalhar sementes nativas pela cidade. O desaparecimento das plantas nativas nos centros urbanos gera um grande impacto para a biodiversidade e a saúde humana.

O projeto do Hortum Machina foi elaborado pensando nos desafios ecológicos para a humanidade e o planeta. Segundo Sampaio, a ideia foi fazer um projeto que desse autonomia às plantas para que elas habitem os espaços ocupados pelas pessoas, tornando-se mais presentes em nosso cotidiano.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

26/09/2016

Hortum Machina: Horta ambulante pelas ruas de Londres

Fonte: Green Me É muito agradável, quando estamos caminhando por uma cidade, encontrar jardins verdes e floridos. Mas você já imaginou se deparar com uma máquina que tem uma jardim dentro andando pela cidade? Pois ela existe e está passeando pelas ruas de Londres. Chama-se Hortum Machina, uma máquina que tem 3 metros de altura, pesa 400 quilos e funciona […]