25/05/2021

Beacon School é Sou Resíduo Zero

Inaugurada em 2010 e reconhecida pela International Baccalaureate Organization como IB World School, a Beacon School tem hoje mais de 1.000 alunos, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Em um ambiente que enfatiza o acolhimento, a Beacon oferece uma educação internacional genuinamente bilíngue e aberta para o mundo, ao mesmo tempo em que valoriza suas raízes brasileiras. Reconhecem a diversidade […]
30/04/2021

O que é a NBR 10004/2004?

A Norma Técnica Brasileira 10004/2004 tem por objetivo classificar os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. Esta NBR não considera resíduos radioativos, ficando sob responsabilidade da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Qual sua importância? O estabelecimento de uma padronização e codificação dos resíduos facilita o gerenciamento […]
26/04/2021

O que é MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos)?

O Manifesto de Transporte de Resíduos – MTR é um documento que os geradores de resíduos devem emitir através do Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos – SINIR, e estão sujeitos à elaboração da PGRS. O mesmo permite que os resíduos gerados e destinados sejam rastreados. O documento emitido é numerado e deverá acompanhar o transporte […]
15/04/2021

Tudo que você precisa saber sobre Gestão de Resíduos Sólidos

Qualquer tipo de negócio é um potencial gerador de resíduos, uma vez que estamos constantemente utilizando materiais e consumindo alimentos em nossas atividades diárias. Acabar com os impactos negativos da geração de lixo é um desafio e tanto, porém, de alguma forma, essas atividades podem ser mitigadas e gerar impactos positivos de âmbito social, econômico e ambiental. Fazer a gestão […]
31/03/2021

Conheça a IN IBAMA 13/2012

Entre os instrumentos definidos na Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/10), encontramos o Cadastro Nacional de Operadores de Resíduos Perigosos e o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais. Estes instrumentos estão atribuídos ao SISNAMA – Sistema Nacional do Meio Ambiente – que dispõe como um de seus Órgãos Executores o IBAMA […]

Fonte: SP Cidade Gentil

Os números são alarmantes: por ano, quase metade da comida produzida no mundo vai para o lixo. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, a FAO, nos países industrializados, os alimentos desperdiçados seriam suficientes para abastecer 925 milhões de pessoas.

Orientados a evitar o desperdício, projetos têm criado alternativas de conscientização mundo afora. É o caso da cooperativa portuguesa de consumo Fruta Feia, que tria e revende frutas e hortaliças desperdiçadas por supermercados por estarem fora dos “padrões de beleza”. Os alimentos seguem para consumidores que não se importam com as imperfeições visuais, comendo-os em vez de jogá-los fora.

Os criadores da Fruta Feia lançaram o projeto em 2012, motivados por documentários e artigos sobre desperdício de alimentos e alarmados pelos números relacionados ao tema na Europa, onde 30% da comida é jogada fora por causa da aparência.

Com o slogan “Gente bonita come fruta feita”, a iniciativa conta com apoio de 96 produtores de Lisboa e do Porto. Eles separam os produtos pequenos ou disformes, e a cooperativa Fruta Feia os recolhe e os organiza em cestas que custam entre R$ 12 e R$ 25.

Na Califórnia, um projeto semelhante também vem mudando hábitos na hora de escolher os produtos. A Imperfect Produce é uma startup que impulsiona o consumo de frutas e verduras “imperfeitas” através de uma campanha de conscientização.

Nas redes sociais, o grupo lança imagens dos alimentos com formas “estranhas” e busca convencer as pessoas de que as curvas podem parecer feias, mas contém amor. Da mesma forma que o Fruta Feia, a Imperfect Produce recolhe alimentos tradicionalmente descartados e os revende aos moradores da região a preços mais baratos, de porta em porta.

MAIS BARATO

Já na França, o desperdício virou fonte de lucro para a marca Les Gueules Cassées (que, em francês, significa “caras quebradas”), que aposta nesta etiqueta para fazer sucesso com os consumidores no supermercado. A empresa vende hortifrútis fora dos padrões de tamanho, cor e formato com preços até 30% mais baratos que os praticados pelo mercado. Apelo que, em épocas de crise, tem aumentado as vendas — de 2014 a 2015, a marca vendeu 10 toneladas de produtos. Além disso, parte do valor pago no alimentado é doado a entidades de caridade.

Por lei, os franceses são proibidos de jogar fora aquilo que não foi vendido: os supermercados precisam doar os alimentos para grupos que trabalhem com compostagem. No entanto, com o estímulo de compra que a marca Les Gueules tem gerado, os comerciantes também conseguiram lucro. Hoje, os produtos da marca são vendidos em mais de 1,5 mil estabelecimentos da França.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

28/10/2016

Projetos internacionais conscientizam: não existe comida ‘feia’

Fonte: SP Cidade Gentil Os números são alarmantes: por ano, quase metade da comida produzida no mundo vai para o lixo. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, a FAO, nos países industrializados, os alimentos desperdiçados seriam suficientes para abastecer 925 milhões de pessoas. Orientados a evitar o desperdício, projetos têm criado alternativas de conscientização […]
08/09/2016

Goodafter: o supermercado português que combate o desperdício alimentar

Fonte: Green Savers Em plena cidade do Porto, um supermercado dá um novo significado às expressões “consumir até” e “consumir de preferência antes de” ao vender por valor mais reduzido produtos que normalmente acabariam nos caixotes do lixo, preteridos por outros mais recentes, quebrando assim o ciclo de desperdício alimentar. Aberto há três meses, o GoodAfter.com já conseguiu evitar o […]
04/07/2016

Na Itália, restaurantes que doam comida aos sem-teto terão redução de imposto

Fonte: The Greenest Post Enquanto, no Brasil, a legislação desincentiva os estabelecimentos a doar a comida que jogariam no lixo, na Itália o governo toma o sentido contrário e ensaia oferecer redução de imposto para os restaurante que oferecerem esses alimentos a pessoas necessitadas, como moradores em situação de rua. A medida deve ser votada, em breve, pelo parlamento, mas […]
11/11/2015

Dinamarca reduz desperdício de alimento em 25%

Fonte: Página 22 Nos últimos cinco anos, a Dinamarca reduziu em um quarto o desperdício de alimentos, segundo dados recentes do governo e do Conselho de Agricultura e Alimentação do país, que reúne representantes da cadeia da indústria alimentar. Isso representou uma economia de 4,4 bilhões de coroas dinamarquesas (cerca de R$ 2,7 bilhões). Hoje os 5,7 milhões de dinamarqueses […]