24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Sistema Ambiental Paulista

Texto: Anna Karla Moura
Fotos: Arquivo SMA / Fundação Florestal

Só quem é pai ou mãe sabe o quanto pode ser difícil entreter as crianças no tempo livre. Elas têm fonte inesgotável de energia e nem sempre os pais têm o mesmo pique. Na busca por algo legal para fazer e que agrade adultos e crianças, muitas vezes faltam ideias de programas, principalmente, quando a grana está curta.

Uma ótima opção de ambiente para o desfrute de tempo de qualidade em família são os parques estaduais. E aqui não nos referimos aos parques urbanos, que são, também, excelentes espaços de lazer. Estamos falando dos parques estaduais que são unidades de conservação, extensas áreas que abrigam densas florestas preservadas.

Muitos podem achar que floresta é coisa para gente grande. Mas o que pouca gente sabe, é que os parques têm uma boa estrutura para receber também crianças pequenas. Muitos têm playground, área para piquenique, centro de visitantes com exposição, restaurante e até mesmo trilhas que podem ser percorridas pelos visitantes mirins.

Luciano, que hoje tem 10 anos, desde muito cedo visita os parques estaduais. “Como eu e o meu marido trabalhamos na Secretaria do Meio Ambiente, as unidades de conservação fazem parte das nossas vidas”, disse a mãe Isadora, ecóloga, mostrando uma foto do filho com pouco menos de dois meses de idade, em frente à bica Pedro Tanaka, no Parque Estadual Carlos Botelho.

Quando o Luciano era bebê, um equipamento foi indispensável para que ele pudesse acompanhar os pais pelas trilhas dos parques: a mochila cargueira para transporte de crianças. “Essa mochila é interessante porque a criança fica na mesma altura que você, então não há perigo de bater a cabeça nos galhos. O bebê fica bem amarrado na cadeirinha. Você pode abaixar, que ele não cai”. Sobre se o filho curtia a caminhada, Isadora afirma que em muitas das ocasiões, o filho acabava adormecendo ao longo das trilhas. Em outras, ele ficava acordado, ouvindo as explicações dos monitores ambientais ou ouvindo o pai identificar as aves.

Depois que cresceu, Luciano passou a percorrer as trilhas com os próprios pés. “É um menino saudável, inteligente e tem uma boa noção geográfica (risos)! Já visitou muitas unidades de conservação, federais e estaduais. Posso dizer com convicção que é muito mais legal trilhar com meu filho, do que sozinha”, conclui Isadora.

E você? Se animou para fazer uma trilha com seu filho? Nós montamos uma lista com 11 sugestões de trilhas que podem ser percorridas com crianças. Algumas podem ser até percorridas com carrinho de bebê. E não se esqueça de, antes de ir, ligar para a unidade de conservação e verificar as normas de funcionamento e se há necessidade de agendamento.

1) Trilha da Cachoeira, Parque Estadual da Cantareira, Núcleo Engordador, São Paulo
Já pensou em conhecer não uma, mas três cachoeiras dentro da cidade de São Paulo e percorrendo uma só trilha? Essa é a Trilha da Cachoeira, que tem três quilômetros de extensão e algumas boas subidas, podendo ser percorrida por crianças que curtem atividade física e aventura. O núcleo tem um playground sombreado por espécies da Mata Atlântica, área para piquenique e uma linda represa, que já foi responsável pelo abastecimento da cidade de São Paulo. No passeio, as crianças poderão conhecer a Casa das Bombas, que abriga o maquinário que bombeava a água da represa para a cidade e é, hoje, tombada como patrimônio histórico.

2) Trilha Barreiro da Anta, Parque Estadual do Morro do Diabo, Teodoro Sampaio
A trilha de 1.700 metros leva, em média, 40 minutos para ser percorrida. Ela avança pela mata e atravessa uma lagoa intermitente, cujo volume de água está relacionado ao regime de chuvas da região. Sobre uma ponte de palafitas, as crianças poderão observar aves e os caminhos produzidos pelos animais em meio à vegetação.

3) Trilha da Lagoa Verde, Parque Estadual do Morro do Diabo, Teodoro Sampaio
É uma boa opção para quem quer um passeio leve. São só 500 metros de caminhada e, ao longo do percurso, placas interpretativas expõem o ciclo da água e de nutrientes no ecossistema. Uma ponte pênsil cruza um lago coberto com uma planta aquática, do gênero Azzolla, que lembra um tapete verde. Essa trilha é acessível e pode ser percorrida inclusive por carrinhos de bebê / cadeira de rodas.

4) Trilha da Nascente do Riacho do Ipiranga, Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo
O percurso de cerca de 40 minutos tem 720 metros de extensão e seu piso é formado por uma passarela de madeira, projetada para não causar impacto no ambiente. É adaptada para carrinho de bebê/cadeira de rodas. Nela, as crianças poderão conhecer uma das nascentes do rio Ipiranga, que tem grande importância histórica para o país.

5) Trilha dos Jequitibás, Parque Estadual de Vassununga, Santa Rita do Passa Quatro
Com seus 2,3 km de extensão, a trilha abriga o maior exemplar de jequitibá-rosa do estado, denominado “O Patriarca”. A árvore centenária tem 40 metros de altura. No percurso, as crianças poderão conhecer espécies vegetais ameaçadas de extinção, como a palmeira-juçara e o cedro-do-brejo.

 

srzz

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

11/09/2017

Lugar de criança também é na trilha

Fonte: Sistema Ambiental Paulista Texto: Anna Karla Moura Fotos: Arquivo SMA / Fundação Florestal Só quem é pai ou mãe sabe o quanto pode ser difícil entreter as crianças no tempo livre. Elas têm fonte inesgotável de energia e nem sempre os pais têm o mesmo pique. Na busca por algo legal para fazer e que agrade adultos e crianças, […]