24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Green Savers

Criada por Bart Conteiro, esta casa sustentável foi pensada para se fundir o mais possível com a incrível paisagem mediterrânea, num conceito de “arquitetura sem arquitetos”. Conhecida como G-M House, esta residência, eficiente em termos energéticos, equilibra na perfeição as suas curvas e contracurvas modernas com o ambiente tradicional em redor.

As paredes exteriores da casa são feitas de tufos vulcânicos, rochas que se formam ao longo dos anos com os detritos expelidos dos vulcões. Também no isolamento da casa houve preocupação em usar materiais amigos do ambiente e das proximidades, com os painéis de cortiça a serem aplicados na totalidade das paredes.

Fruto comum naquelas paisagem, as peras espinhosas foram mais um recurso natural usado nesta casa paradisíaca. Os construtores misturaram fibras naturais da pêra espinhosa com outros ingredientes locais, como o barro e a cal, conseguindo assim mais um material de construção altamente sustentável. Em adição a este processo, já de si tão ecológico, no interior da casa foram apenas usados materiais recicláveis, ficando completamente de fora o uso de aditivos químicos, resinas ou solventes.

Mas não é tudo. Também as técnicas de arquitetura bioclimática estão presentes em todos os recantos da casa, com o sol, a vegetação, a chuva, o vento, a serem parte integrante do projeto. Esta forma de construir permite minimizar impactos ambientais e reduzir o consumo energético ao máximo, com a sustentabilidade omnipresente, quase numa unidade única com a natureza.

As enormes janelas e o pátio fornecem a tão necessária ventilação em pleno Mediterrâneo, e as largas paredes permitem que a casa acumule energia térmica no Inverno, mantendo-a fresca no Verão. Instalados no telhado da casa, estão também os painéis solares bem como um sistema de recolha de águas pluviais.

Muito mais que uma casa com uma vista de cortar a respiração, este edifício quer ser um elo de ligação entre a tecnologia, as características próprias do local e o uso de fontes de energias renováveis, recuperando leis de construção antigas onde o clima era sempre uma variável da equação.

srzz

 

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

18/08/2016

Casa sustentável na Itália usa cinzas vulcânicas e fibras de pêra espinhosa

Fonte: Green Savers Criada por Bart Conteiro, esta casa sustentável foi pensada para se fundir o mais possível com a incrível paisagem mediterrânea, num conceito de “arquitetura sem arquitetos”. Conhecida como G-M House, esta residência, eficiente em termos energéticos, equilibra na perfeição as suas curvas e contracurvas modernas com o ambiente tradicional em redor. As paredes exteriores da casa são […]