24/11/2020

Comércio grande gerador precisa emitir MTR: novo documento eletrônico para gestão de resíduos

Estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem no território nacional resíduos perigosos e resíduos não perigosos – como sobras de tecidos, papeis e resíduos equiparados aos domésticos, porém em grande quantidade –, deverão emitir, a partir de 1º de janeiro de 2021, o Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR). Estas empresas, consideradas grandes geradores, também devem ter Plano […]
09/11/2020
Foto por Cleber Souza para UOL

Lixo invade estação da linha 6-Laranja do metrô; obra se arrasta há 5 anos

“Aqui é um caos. Às vezes eu acho que não vou ver esse metrô pronto nunca”, reclama André do Nascimento, 58, que mora na Brasilândia, zona norte de São Paulo, há 50 anos. O “metrô” a que ele se refere é a Linha 6-Laranja, que começou a ser construída em 2015, mas teve as obras paradas em setembro de 2016, […]
03/11/2020

Pequenas marcas de cosméticos dão exemplo sustentável de ponta a ponta

Desde a escolha da matéria-prima, de fontes renováveis, até a entrega do produto, para garantir destino das embalagens, empreendedores veem alta nas vendas com busca por mais saúde na pandemia Conheça as iniciativas Óleo corporal de calêndula para problemas de pele e inflamações, suavizador vegano de olheiras com alecrim e olíbano, água micelar orgânica com extrato de aloe vera, gel […]
20/10/2020

Os descaminhos do Lixo – Opinião Estadão

Há um grande contingente de pessoas não atendidas por serviços de coleta, e o setor apresenta déficits consideráveis em relação à coleta seletiva, recuperação de materiais e disposição dos resíduos sólidos Nos últimos anos houve uma melhora quantitativa e qualitativa na cobertura de coleta de lixo no Brasil. O avanço, contudo, foi bem menor do que o necessário: há um […]
15/10/2020

Mercado Municipal Kinjo Yamato intitulado como o primeiro Mercado Sustentável da cidade de São Paulo

Sobre o mercado A história do Mercado Municipal Kinjo Yamato tem início no antigo “Mercado Caipira” ou “25 de Março dos produtos hortifrutis”, como era chamado o local antes instalado na Várzea do Parque Dom Pedro e que se tornou conhecido pela comercialização de frutas, legumes e verduras provenientes dos campos onde trabalhavam imigrantes japoneses. Como complemento de renda, esses […]

Fonte: Greenpeace

Na manhã desta quinta-feira (28), nossos ativistas surpreenderam os funcionários da Total com um “derramamento de óleo” na porta de seu escritório, e uma mensagem clara e direta: “O povo disse não, a Ciência disse não, o Ibama disse não. Fique longe dos Corais da Amazônia”. A empresa não pode mais fingir que ignora o alto risco disso acontecer nesse ecossistema único, se ela continuar com seus planos de exploração de petróleo na bacia da foz do rio Amazonas.

A ação foi realizada no coração da indústria do petróleo no país, a Avenida do Chile, no Rio de Janeiro, onde estão ainda escritórios da Petrobras, Shell, Chevron, fornecedores e consultorias do setor de óleo e gás.

Na cara da Total

Usamos também um grande drone para levar a mensagem ao 19º andar do prédio, onde está o escritório da empresa. O objetivo era conscientizar os funcionários da opinião pública contra a perfuração de petróleo perto desse ecossistema. “Os funcionários de Total devem estar cientes da verdade: risco de um derramamento é alto e a empresa não está preparada para isso”, afirma Thiago Almeida, especialista em energia do Greenpeace Brasil.

Mais de um milhão de pessoas assinaram a petição, dezenas de cientistas assinaram uma Carta Aberta, e a equipe técnica do governo rejeitou o Estudo de Impacto Ambiental da empresa, no entanto, a Total insiste em tentar explorar petróleo perto dos Corais da Amazônia. “Isso é inaceitável sob qualquer perspectiva, e é hora dela desistir de seus planos. Não podemos permitir que o lucro venha antes da proteção de um ecossistema único e das pessoas que seriam afetadas por um potencial derramamento”, completa Thiago.

Em agosto o Ibama rejeitou pela terceira vez o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) da empresa, necessário para a obtenção da licença que autoriza a perfuração na bacia da foz do rio Amazonas. Segundo a presidente do Ibama, a Total não forneceu, de novo, informações adequadas sobre o impacto ambiental do projeto, como apontamos no relatório Amazônia em Águas Profundas.

A Total admite, no seu próprio EIA, a probabilidade de até 30% de o petróleo atingir o recife em caso de derramamento. No entanto, a petrolífera continua pressionando o governo para obter a licença.

Se você ainda não assinou a petição pela Defesa dos Corais da Amazônia, junte-se a nós nesse movimento global.

 

srzz

O que você irá deixar para o mundo?

Conheça o Sou Resíduo

29/09/2017

Óleo na casa dos outros não é refresco

Fonte: Greenpeace Na manhã desta quinta-feira (28), nossos ativistas surpreenderam os funcionários da Total com um “derramamento de óleo” na porta de seu escritório, e uma mensagem clara e direta: “O povo disse não, a Ciência disse não, o Ibama disse não. Fique longe dos Corais da Amazônia”. A empresa não pode mais fingir que ignora o alto risco disso […]